Mais um rock do tempo da Jovem Guarda

Albert Pavao Esse rock é uma versão do famoso “Twenty Flight Rock“, de Eddie Cochran, lançada em 1957.

Ainda em 1957, Paul McCartney, na época com 15 anos, tocou “Twenty Flight Rock” para John Lennon, quando foram apresentados. A partir desse encontro, nascia o famoso conjunto The Beatles.

A versão brasileira foi composta e gravada por Albert Pavão, no ano de 1963, e se chamava “Vigésimo Andar“.

Albert Pavão é cantor, compositor e escritor. Filho do maestro Theotônio Pavão e irmão da cantora Meire Pavão, já falecida.

É autor do livro “Rock Brasileiro: 1955-65“, um registro sobre os primórdios do rock no Brasil.

Vale a pena relembrar e curtir.

The Point Carioca - Blog

Clique em CURTIR e Compartilhe.

Mais uma versão de Renato

RENATO E SEUS BLUE CAPS - 1973 Pois é, hoje, em uma troca de posts no Facebook, eu e um Amigo do tempo de juventude estávamos relembrando dos grandes sucessos da década de 60.

Grandes rocks, belas baladas, excelentes conjuntos (como chamávamos as bandas daquela época), enfim, bem diferente da nossa atualidade.

E, claro, a cada rock de grande sucesso mundial, os compositores brasileiros criavam belas versões.

Naquele tempo o idioma inglês não era muito falado ou cantado entre os jovens, era tudo na base do “embromation”. Os cursinhos de inglês, em sua maioria, só ficavam no “the book is on the table”. E era difícil, sem ter um bom vocabulário, ouvir e escrever as canções. Os LPs não traziam as letras das músicas, isso só foi acontecer a partir do álbum dos The Beatles de 1967, o lendário Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band , que as tinha impressas na contracapa, algo inédito em discos de rock.

Mas, voltando ao assunto das versões, um conjunto que gravou um grande numero delas foi Renato E Seus Blue Caps. Aliás, uma de nossas preferidas bandas.

A versão que vamos postar é de uma música gravada no ano de 1960 pelo conjunto americano The Drifters. Nos dias de hoje existe uma regravação faz grande sucesso, na voz de Michael Bublé. O nome original é: “Save The Last Dance For Me”.

A canção foi gravada por Renato E Seus Blue Caps no ano de 1973, em seu álbum de “capa vermelha”. A versão é de Pedro Paulo e ganhou o nome de “Guarde O Seu Amor Pra Mim”.

Vamos relembrar e curtir.

Aposto que quem viveu a época está tendo boas recordações.

The Point Carioca - Blog

Clique em CURTIR e Compartilhe.

Mais uma versão com Celso Fonseca

Celso Fonseca Esse é mais um sucesso, lançado no álbum de Celso Fonseca, Juventude/Slow Motion Bossa Nova, do ano de 2002.

Trata-se de uma versão feita por Ronaldo Bastos.

Ronaldo é um grande parceiro de Celso Fonseca, com outros grandes sucessos, que já postamos aqui.

Hoje vamos curtir a versão da canção francesa “Que reste-t-il de nos amours” (composta por Léo Chauliac e Charles Trenet) que Ronaldo Bastos fez sob o título de “O que restou do nosso amor“.

Vamos curtir a bela interpretação de Celso Fonseca.

Se você gostou de nosso post, cadastre-se como seguidor.

The Point Carioca - Blog

Clique em CURTIR e Compartilhe.

Um Medley com The Fevers

The Fevers Fiquei sabendo que o conjunto (antigamente as bandas eram chamadas de “conjuntos”) The Fevers irá se apresentar no Clube do Condomínio Riviera Dei Fiori, na Barra da Tijuca – RJ, no mês de Maio.

Me deu vontade de ir, mas agora é impossível. Fica para uma próxima vez.

Entretanto, pra matar a saudade desse famoso grupo, vou postar um medley que fez muito sucesso.

São três versões de músicas americanas: “O Amor Que Perdi (versão de Runaway) / Diana / Oh! Carol“.

Vamos curtir, matar a saudade e compartilhar.

The Fevers é uma banda brasileira de rock e pop formada no Rio de Janeiro em 1964. O grupo continua em plena atividade até os dias de hoje.

Se você gostou de nosso post, cadastre-se como seguidor.

The Point Carioca - Blog

Clique em CURTIR e Compartilhe.

Mais uma versão, com Adriana

Adriana Ela fez sucesso na Jovem Guarda, iniciou sua carreira quando tinha apenas 12 anos. Depois, uma de suas músicas, “Anjo Azul”, foi regravada por Simonal, com o nome de “Vesti Azul”, um dos sucessos da Pilantragem. Teve também a obra prima de Cury, “O que me importa”, lançada em 1972 e, mais recentemente, regravada por Marisa Monte.

Enfim, não faltaram sucessos na carreira de Adriana.

Depois de alguns anos afastada da mídia, Adriana retornou em 2007 com o álbum 14 Sucessos, que incluiu a música que vamos curtir: “ALÔ MEU BEM! EU VOLTEI”, versão de “Alone Again (Naturally)”, um grande sucesso do cantor/compositor irlandês Gilbert O’Sullivan, gravado em 1972. A versão brasileira é de Marcio e Marcos Monteiro / Carlos Duarte.

The Point Carioca - Blog

Clique em CURTIR e Compartilhe.