Uma versão do sucesso de Hermans Hermitts

A explosao da jovem guarda Essa música, originalmente composta por Geoff Wilkinson e Les Reed, fez grande sucesso na gravação internacional de Hermans Hermitts, grupo britânico da década de 60.

Ganhou uma versão nacional feita por Renato Barros e Lilian Knapp.

No vídeo abaixo, vamos curtir a gravação do hit nas vozes de José Augusto e Lilian Knapp, incluída no álbum A Explosão da Jovem Guarda, lançado no ano de 1981.

A canção chama-se “Só Eu e Você” (versão de “There’s a Kind of Hush”).

A versão da música foi criada por Lilian e Renato no ano de 1965, gravada em 1967 por Ronie Cord e, posteriormente, por Carlos Gonzaga.

The Point Carioca - Blog

Clique em CURTIR e Compartilhe.

Anúncios

E lá se vão 50 Carnavais

DVD Jose Augusto Pois é, esse Blog não tem muito a ver com Carnaval, e hoje também não iremos postar nada sobre o tema.

Apenas lembrar do tempo que ficou pra trás. Eu diria que se passaram 50 Carnavais.

O Carnaval, apesar de não ser a festa preferida de muitos brasileiros, no qual me incluo, gera uma certa saudade dos anos vividos no Brasil, entre os brasileiros que vivem espalhados por esse mundo, no qual eu também me incluo.

Muitos podem achar que esse post é um tanto quanto nostálgico, mas posso garantir que é “realmente” e “totalmente” nostálgico.

Hoje, para lembrar dos bons tempos vividos coloquei no Youtube o show do José Augusto. A vantagem das smartv’s é a facilidade de encontrar o que quer na internet e assistir na hora em uma grande tela. Isso nós não tínhamos há 50 Carnavais.

O show, muitos podem classificar como “brega”, “romântico”, ou “cafona”, como dizíamos há 50 Carnavais. Não me interessa. Peguei minha cerveja e fiquei curtindo as canções, relembrando o tempo de juventude.

img164Lembrei de muitos amigos que, mesmo separados por décadas, se encontraram nas redes sociais e continuaram aquele papo que tiveram ali na esquina, há 50 Carnavais.

Olhando o palco do show que se mostrava na TV me lembrei do tempo em que não éramos mais uma criançada mas freqüentávamos o “Gurilândia”, com seu pequenino palco.

Aquele palco era o sucesso da turma, não importava o tamanho, afinal os Beatles começaram no Cavern Club com um palco muito menor. Fiquei imaginando o saudoso Gegê com sua guitarra rítmica, com o cigarrinho aceso espetado na ponta da corda na cravelha. Dedé com sua guitarra solo, sempre muito compenetrado na música. Gugú, o cara alto do grupo, marcando no baixo. Alan, com sua batida sincopada, marcava o tempo e o andamento dos bons rocks, entre uma e outra sacudida em suas madeixas. E, o crooner, Vita, que esbanjava simpatia, rs…. Eu curtia meu teclado e o piano em várias jam session em casa e, tempos depois, na casa do Qüenqüém.

Tempos depois, Alan aposentou as baquetas e deu lugar a Toninho, que aparecia invariavelmente com a sua Toca, e Gugú cedeu a vaga de baixista para Edú, que chegava com seus patins (naquela época não chamávamos de roller). Até o Vita cedeu seu lugar de crooner em uma gravação “histórica” de “Sunny”, mas isso é melhor não comentar.

A turma era grande, muito mais do que um conjunto, muito mais do que um time de futebol, era um monte de amigos que, por mais que voassem por ares e planícies diferentes, sempre voltavam e se encontravam no Planalto (o nosso famoso Bar do Edú, não o baixista, claro), para curtir um bom papo e ouvir a gargalhada da Catita. Discutíamos sobre os Festivais da Canção, sobre o crescente sucesso da Seleção Brasileira, ou simplesmente fazíamos nosso campeonato de purrinha, valendo a cerveja, claro.

Não tínhamos carrões nem calhambeques, mas tínhamos a boa Vemaguete do amigo Mamadeira. Não tínhamos mansões nem Festas de Arromba, mas tínhamos as nossas festas na casa da D.Ângela, a mãezona da turma. Quando nada havia para fazer, uma boa noitada de carteado na casa do Conde (José Carlos), incrementada por uma boa dose de discos de Jazz.

Enfim, éramos uma turma unida e feliz.

Mas, os anos foram passando e nossas vidas ganhando novas variantes que se multiplicaram em proporções geométricas, afastando-nos por diversos caminhos. Felizmente, graças as redes sociais, estamos continuando o nosso papo interrompido por 50 Carnavais.

Eu sei que muitos dos que estão lendo esse post não irão entender o conteúdo de toda essa história, mas serve para que você pare um pouco com esse stress da rotina diária, curta um bom show romântico/brega, e se lembre dos seus Carnavais de outrora. Velhos amigos serão sempre bem lembrados.

Agora é só apertar no play do vídeo, deixar rolar, e relembrar.

Com vocês, “Agüenta Coração – José Augusto – ao vivo”.

Este não ano vai ser igual aquele que passou,

eu não brinquei, você também não brincou…

The Point Carioca - Blog

Clique em CURTIR e Compartilhe.

E, novamente, um sucesso de Sullivan

Jose Augusto Agora sim, estamos falando de Michael Sullivan, o grande cantor e compositor brasileiro, com mais de 1.200 (isso mesmo: mil e duzentas) músicas feitas.

Michael Sullivan iniciou sua carreira aos 15 anos, em 1965, na TV Jornal do Comércio, em Recife – PE, depois de ter ganho um concurso de calouros.

Após ter se mudado para o Rio de Janeiro, conheceu Paulo Massadas, parceiro frequente de suas composições. A dupla Sullivan/Massadas durou 16 anos, de 1979 até 1995, e foi responsável por grandes sucessos.

Um desses sucessos foi gravado e lançado por Rosana, em seu álbum Coração Selvagem, no ano de 1987, chamado “Nem Um Toque”.

Hoje você vai curtir o grande cantor, e também compositor, José Augusto interpretando a canção. Vídeo que faz parte do DVD Um Barzinho, um Violão – Novelas Anos 80, Vol. 2.

A música fez parte da trilha sonora da novela Roda de Fogo, da TV Globo, no ano de 1987.

The Point Carioca - Blog

Clique em CURTIR e Compartilhe.

A sertaneja de Paulo Sérgio Valle

Evidencias Todos nós conhecemos Paulo Sérgio Valle, famoso compositor e letrista brasileiro, irmão do também compositor Marcos Valle.

Paulo Sérgio começou sua carreira em 1963 compondo Bossa Nova quando, com o irmão, compôs em 1965 a canção “Samba de Verão, que se tornaria uma das canções brasileiras mais famosas e executadas no exterior.

Outra canção muito famosa de Paulo Sergio Valle foi composta em parceria com José Augusto no final da década de 1980. Rejeitada pelo produtor musical de José Augusto, a canção foi gravada por Leonardo Sullivan, a pedido de seu irmão Michael Sullivan. Mesmo assim, por falta de trabalho da gravadora, continuou sendo pouco divulgada.

Quando a dupla Chitãozinho e Xororó pediu para gravar a canção e a incluiu em seu álbum de 1990, o sucesso estourou. Tornou-se um dos maiores sucessos da música sertaneja brasileira.

A música já teve mais de 80 regravações, inclusive em francês, inglês e italiano.

O nome da canção: “Evidências” (de José Augusto / Paulo Sérgio Valle).

Para relembrar e curtir o sucesso na voz de José Augusto.

José Augusto (Rio de Janeiro, 16 de agosto de 1953) é um cantor e compositor brasileiro.

Paulo Sérgio Valle (Rio de Janeiro, 6 de agosto de 1940) é um compositor e letrista brasileiro.

The Point Carioca - Blog

Clique em CURTIR e Compartilhem.