Uma Velha Canção…

14 Bis É sempre bom ouvir e relembrar as boas músicas dos anos 70/80. Grandes bandas, grandes compositores, belas canções.

Uma dessas bandas, com grandes compositores e belas canções era a 14 Bis.

14 Bis é uma banda brasileira que surgiu em Minas Gerais no final dos anos 70, criada por Flávio Venturini, Cláudio Venturini, Helly Rodrigues, Vermelho e Sérgio Magrão. Sua música traz o casamento entre referências do rock, em especial do rock progressivo, e a escola mineira de música da época, conhecida como “Clube da Esquina”.

Tiveram diversos sucessos, entre eles : “Uma Velha Canção Rock’n Roll” (faixa do álbum Além Paraíso, de 1982).

Flávio Venturini saiu da banda em 1988 e retornou em 2011. Todos os membros do 14 Bis são mineiros, exceto Sérgio Magrão, baixista do grupo, que é carioca.

The Point Carioca - Blog

Assinem e Compartilhem nosso Blog.

APÓIEM O BLOG VISITANDO OS SITES DE NOSSOS ANUNCIANTES.

Compartilhe isso:

História da Música : Canção da América

Fernando Brant e Milton Nascimento compondo juntos em um sítio - Belo Horizonte - MG – 1970Muitos acham que a música “Canção da América“, de Milton Nascimento, é em homenagem a John Lennon. Mas não é. Foi feita em 1979, e John Lennon morreu em dezembro de 1980.

A verdadeira história é esta :

Em 1979, numa chuvosa temporada em Los Angeles, Milton Nascimento gravaria o elepê “Journey to dawn”, dirigido ao público americano. Na ocasião, permanecendo na cidade com o parceiro Fernando Brant durante 45 dias, o compositor tentou em vão entrar em contato com um baterista inglês, que lhe havia mostrado, tempos antes, uma composição cuja letra falava de músicos que partilhavam amizades, quase sempre interrompidas no momento em que terminavam suas gravações ou temporadas.
Frustrado ao constatar que o tal baterista não se encontrava mais em Los Angeles, Milton fez então com Brant uma nova canção, em inglês, abordando o assunto, ou seja, o desencontro de amigos, e deu-lhe como título uma palavra inventada pelos dois: “Unencounter”. Quando chegou a vez de gravá-la, perguntou aos americanos se entendiam o seu significado e, diante da resposta afirmativa, manteve o título, sendo a música incluída no citado disco.
Meses depois, no Brasil, o grupo mineiro 14 Bis (Flávio Venturini, Vermelho, Sérgio Magrão, Reli Rodrigues e Cláudio Venturini) desejou gravar a composição, tendo Fernando Brant feito uma letra em português, na qual o sentido da ideia original era estendido à amizade: “Amigo é coisa pra se guardar / debaixo de sete chaves / dentro do coração / assim falava a canção / que na América ouvi / mas quem cantava chorou / ao ver seu amigo partir…”
Renasceu assim a música em português, com um novo título, “Canção da América”, que Milton Nascimento gravou no álbum Sentinela, em 1980, coadjuvado pelo quarteto Boca Livre. Com o tempo, a canção acabaria sendo cantada em cerimônias — como por ocasião da morte de Ayrton Senna — ganhando caráter de hino à fraternidade. Uma curiosidade: ao cantar “Canção da América” no show e no disco Saudade do Brasil, Elis Regina trocou o verso “assim falava a canção” por “a se falar na canção” (A Canção no Tempo – Vol. 2 – Jairo Severiano e Zuza Homem de Mello – Editora 34).

Ouçam a canção em inglês :

Agora, a versão em português :

The Point Carioca

Assinem nosso Blog.

Letras das Músicas:

Fontes:

Resposta mineira aos The Beatles

Na década de 60 nasceu em Minas Gerais um movimento chamado Clube da Esquina.

Milton NascimentoO Clube surgiu da grande amizade entre Milton Nascimento e os irmãos Borges (Marilton, Márcio e ), na esquina das Ruas Divinópolis com Paraisópolis, em Belo Horizonte – MG.

O nome do grupo foi ideia de Márcio que ao ouvir a mãe perguntar dos filhos, ouvia a mesma resposta: “Estão lá na esquina, cantando e tocando violão.”

Os irmãos Borges eram fãs dos Beatles e, antes do Clube, Lô montou com seu irmão Yé, Beto Guedes e Márcio Aquino o conjunto “The Beavers” (Os Castores) que só tocava Beatles e fez um relativo sucesso na capital mineira.

Clube da EsquinaPassaram pelo Clube da Esquina diversos cantores e compositores brasileiros: Tavinho Moura, Wagner Tiso, Milton Nascimento, Lô Borges, Beto Guedes, Flávio Venturini, Toninho Horta, Márcio Borges, Ronaldo Bastos, Fernando Brant e os integrantes do 14 Bis, entre outros.

No vídeo abaixo vocês verão Milton Nascimento interpretando a música “Para Lennon & McCartney”, de Marcio Borges / Fernando Brant / Lô Borges, feita em resposta aos Beatles que na época faziam grande sucesso em Minas Gerais.

Ao piano vocês verão Wagner Tiso e na guitarra Hélio Delmiro, em um excelente show de solo. Show gravado em 1983.

Esse e outros sucessos da turma do Clube da Esquina vocês terão sempre no The Point Carioca.

Historia da Música :  (Extraído do Livro de Marcio Borges)

  • A ORIGEM DA MÚSICA “Para Lennon e McCartney”:
    Leise, eterna namorada de Fernando Brant, estava na cozinha preparando uma macarronada. Mamãe Maricota e seu Salomão também confraternizavam com os filhos e os amigos dos filhos, tomando cerveja no meio da turma. Papai não perdia a chance de pegar um no canto e arriar filosofia. Mamãe o repreendia, vendo-lhe a sofreguidão cervejeira:
    – Não vá exagerar, hein, Salim.
    Na saleta de piano, Lô Borges convocou a mim(Márcio Borges) e ao Fernando Brant para ouvirmos um tema que acabara de compor ali na hora, no meio daquela confusão de irmãos, amigos e cervejada.
    Todos os que estavam por perto na hora se acercaram do piano, para ouvir o tema de Lô. Então, depois de executá-lo por diversas vezes, a ponto de todos estarmos cantarolando os “lá-Iá-Iás” em uníssono com ele, sem erros, Lô parou de tocar e nos propôs:
    – Então? Vocês dois não querem meter uma letra nisso não?
    – Só se for agora – respondeu Fernando.
    – Qual é o tema que você pensou pra ela? – perguntei.
    – Na verdade, eu(Márcio Borges) estava pensando na parceria do John e do Paul… nas parcerias, né. A gente aqui, também fazendo as nossas … e eles nunca vão saber. Mas pode ser outra coisa qualquer que vocês sentirem – Lô se apressou em dizer.
    – Por mim esse tema está ótimo – disse Fernando.
    – Eu faço a primeira parte e você faz a segunda – combinei com ele. Providenciei canetas e papel e nos trancafiamos no quarto de meus pais. Eu não queria perder a festa, nem Fernando. Em menos de meia hora, portanto, estávamos de volta à saleta do piano, bem a tempo de pegar a saída da macarronada de Leise. Já havia até alguns de prato na mão, ao redor do piano, quando Lô cantou pela primeira vez os rabiscos que colocamos diante dele, na estante do piano.     Na minha parte estava escrito:
    Porque vocês não sabem do lixo ocidental
    Não precisam mais temer Não precisam da timidez todo dia é dia de viver Porque você não verá Meu lado ocidental
    Não precisa medo não Não precisa da solidão Todo dia é dia de viver …
    Na parte de Fernando estava escrito:
    Eu sou da América do Sul eu sei vocês não vão saber Mas agora sou cowboy sou do ouro, eu sou vocês
    Sou do mundo, sou Minas Gerais.
    Daí, fomos com disposição à macarronada da Leise, convictos de que acabávamos de compor uma bela música – apesar da rapidez. Quanto ao nome, ficou sendo o que Lô sugeriu: “Para Lennon e McCartney”.

Letra da Música:

Fontes:

  • Wikipédia
  • YouTube
  • Letras.terra.com.br
  • Museu Clube da Esquina
  • Os Sonhos Não Envelhecem(Histórias Do Clube Da Esquina)
    de MÁRCIO BORGES

Foto e Caricatura:

  • Baptistão (caricatura de Milton Nascimento)
  • Arte Vital (foto com  Flávio Venturini, Beto Guedes, Wagner Tiso, Toninho Horta e Lô Borges)