Azul da Cor do Mar, por Venturini

Tim Maia Hoje assisti, pela Globo Internacional, um Especial do Tim Maia que reúne cenas do filme sobre sua vida, entrevistas e depoimentos de Nelson Motta, Erasmo Carlos, Roberto Carlos, Caetano Veloso, Jorge Ben Jor, e o grande “amigo” Fábio.

Saudades do grande Tim Maia. Principalmente nos dias de hoje, em que a atual safra de cantores e composições não se compara aos das décadas de 60, 70 e 80.

O cara que encantou Nelson Motta quando ouviu uma fita teste em que Tim Maia interpretava “Primavera”, de Cassiano. Que, indiretamente, lançou Roberto Carlos, quando o juntou a um grupo e formou o conjunto Os Sputiniks, conseguindo se apresentar no programa do saudoso Carlos Imperial. Mas, isso é uma outra longa historia.

Hoje vamos ver a historia da música “Azul da Cor do Mar”, conforme consta no site R7 (texto do blog Insoonia):

“Em 1969, Tim Maia ainda era um anônimo. Estava procurando um lugar para morar e foi pedir abrigo ao seu amigo Fábio, um cantor paraguaio que estava fazendo sucesso. Fábio dividia com seu empresário, Glauco Timóteo, um apartamento na rua Real Grandeza, em Botafogo, bairro da Zona Sul do Rio de Janeiro. Lá era um entra-e-sai de meninas devido ao sucesso do cantor paraguaio.

O apartamento era de dois quartos, um de Fábio e outro de Glauco. Restou para Tim o velho sofá da sala, chamado de dromedário, no qual ele passou a dormir.

O movimento intenso de mulheres continuava, com Glauco e Fábio aproveitando o sucesso e a juventude.

Já Tim Maia ficava sempre sozinho, vendo todas aquelas garotas entrando nos quartos com Fábio e Glauco. Ouvindo risos, gemidos e gritos, Tim ligava o gravador e cantava com tristeza e raiva, chegando até aos prantos.

Até que Fábio e Glauco viajaram com os músicos para shows em Salvador e Recife, deixando Tim Maia solitário em casa. Logo, ele abandonou o dromedário e passou a ficar na cama de Glauco. Na parede em frente à cama havia um pôster colorido de uma morena, contra o mar azul do Taiti. Tim, se sentindo muito só, pegou no violão e começou a cantar.

Quando Fábio voltou da viagem, Tim Maia ligou o gravador e disse que tinha feito uma música inspirado no pôster. A canção era “Azul da Cor do Mar”.

“Mermão!”, gritou Fábio, que, abraçando Tim, completou: “tu acabou de fazer a música da tua vida!”.
“Azul da Cor do Mar” se transformaria em um dos grandes sucessos de Tim Maia.

Também nesta semana que passou, nosso Amigo Luiz Renato postou em sua página do FaceBook o grande cantor e compositor Flavio Venturini, um dos grandes componentes do Clube da Esquina, interpretando seu sucesso “Todo Azul do Mar”.

Conseguimos, então, no YouTube, um clipe com Flavio Venturini interpretando um medley de “Azul Da Cor Do Mar / Todo Azul do Mar”, para você curtir:

E então, gostaram?

The Point Carioca - Blog

Clique em CURTIR e Compartilhe.

Anúncios

O rock progressivo do “O Terço”

O Terco O Terço é uma banda brasileira formada no Rio de Janeiro em 1968 por Jorge Amiden (guitarra), Sérgio Hinds (baixo) e Vinícius Cantuária (bateria). A banda começou tocando rock clássico, mas logo tendeu ao rock progressivo e ao rock rural e pop caracterizando o som e a diversidade musical da banda.

Segundo o guitarrista Sérgio Hinds (único membro presente em todas as formações da banda), a palavra terço foi escolhida como nome da banda porque é uma medida fracionária que corresponde a três ou a “terça parte de alguma coisa”, como num Rosário. O Terço caiu como uma luva devido a primeira formação da banda, que era a de trio (guitarra, baixo, bateria). Inicialmente, o nome escolhido tinha sido “Santíssima Trindade“, mas para evitar atritos com a Igreja Católica, foi adotado “O Terço“.

O Terço continua fazendo concertos periodicamente. Em 2005 o grupo marca as datas de 3 concertos (no Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais). O primeiro foi dia 4 de maio no Canecão (RJ), onde foi gravado o DVD do grupo também.

Vejam e curtam “Casa Encantada” (Flávio Venturini), do DVD “O TERÇO” ao vivo, que apesar de gravado em 2005 foi lançado pela Som Livre em 2007.

Formação atual: Sérgio Hinds – guitarra, viola e vocal; Flávio Venturini – teclado, viola e vocal; Sérgio Magrão – baixo e vocal;  e Fred Barley – bateria e vocal.

Fonte: Wikipédia.

The Point Carioca - Blog

Clique em CURTIR e Compartilhe.

Uma Velha Canção…

14 Bis É sempre bom ouvir e relembrar as boas músicas dos anos 70/80. Grandes bandas, grandes compositores, belas canções.

Uma dessas bandas, com grandes compositores e belas canções era a 14 Bis.

14 Bis é uma banda brasileira que surgiu em Minas Gerais no final dos anos 70, criada por Flávio Venturini, Cláudio Venturini, Helly Rodrigues, Vermelho e Sérgio Magrão. Sua música traz o casamento entre referências do rock, em especial do rock progressivo, e a escola mineira de música da época, conhecida como “Clube da Esquina”.

Tiveram diversos sucessos, entre eles : “Uma Velha Canção Rock’n Roll” (faixa do álbum Além Paraíso, de 1982).

Flávio Venturini saiu da banda em 1988 e retornou em 2011. Todos os membros do 14 Bis são mineiros, exceto Sérgio Magrão, baixista do grupo, que é carioca.

The Point Carioca - Blog

Assinem e Compartilhem nosso Blog.

APÓIEM O BLOG VISITANDO OS SITES DE NOSSOS ANUNCIANTES.

Compartilhe isso:

Sá, Rodrix & Guarabyra – um trio de sucesso

Sá, Rodrix & Guarabyra

Sá, Rodrix & Guarabyra foi um trio musical, formado por Luís Carlos Sá, Zé Rodrix e Guttemberg Guarabyra.

Surgido no início da década de 1970, no Brasil, o grupo se notabilizou pela criação do chamado rock rural, em que se mesclavam diversas influências musicais, do rock à música sertaneja (ou caipira).

Rock rural foi o estilo de música regionalista batizado na letra de “Casa no Campo”, que Zé Rodrix compôs com Tavito, em 1971, vencedora do Festival da Canção de Juiz de Fora.

Casa no Campo” ficou famosa e fez um grande sucesso na voz de Elis Regina, mas também foi gravada pelo trio.

No vídeo abaixo vocês verão a interpretação de “Casa no Campo” (de Zé Rodrix e Tavito), “Caçador de Mim” (dee Sergio Magrão) e “Espanhola” (de Guarabyra e Flavio Venturini), cada um cantando a sua música. O vídeo faz parte do DVD “Um Barzinho, Um Violão 2” e apresenta a legenda em inglês.

Você pode ver a interpretação das mesmas músicas, com os outros parceiros compositores, clicando nos links abaixo:

– para ver a letra da música “Casa no Campo”, com um vídeo de Tavito, clique aqui;

– para ver a letra da música “Caçador de Mim”, com um vídeo de Sérgio Magrão (conjunto “14 Bis”), clique aqui; e

– para ver a letra da música “Espanhola”, com um vídeo de Flávio Venturini clique aqui.

O trio se desfez ainda no início dos anos 70 e voltou a se reunir no ano 2000 lançando um CD e DVD chamado “Outra Vez Na Estrada”, gravado ao vivo.

O show de reestreia do trio aconteceu no Rock in Rio III, em 2001.

Em 2009, pouco antes do falecimento de Zé Rodrix (22 de maio de 2009), o trio lançou seu último trabalho, Amanhã (Roupa Nova Music).

A caricatura do trio que consta neste post faz parte do encarte do CD “Amanhã” e foi desenhada por Érico San Juan.

Fonte de pesquisa: YouTube; Wikipédia; e Letras.Terra.Com.