Outra música com nome de mulher: Teresinha

Simonal Nome que ficou famoso no bordão do saudoso Chacrinha, “Teresinha” é o título da música do primeiro compacto simples gravado por Wilson Simonal, no ano de 1961.

O autor desse grande sucesso é Carlos Imperial, o cara que lançou diversos ídolos da música brasileira.

Com uma letra bem simples, o ritmo alegre e dançante (chá-chá-chá), e o charme e simpatia de Simonal, não havia quem não gostasse da canção.

O “chá-chá-chá” foi um ritmo lançado na década de 50, bem ao estilo caribenho, baseado em uma dança cubana.

Nos anos 60, o ritmo ficou famoso em um comercial de TV das Casas da Banha, onde os “porquinhos” dançavam a música.

Vamos, então, relembrar e curtir “Teresinha” com Wilson Simonal.

The Point Carioca - Blog

Anúncios

Mais um sucesso de Imperial

Carlos Imperial Essa é uma canção composta pelo saudoso compositor Carlos Imperial e lançada pelo também saudoso cantor Wilson Simonal, em 1966.

Mamãe Passou Açúcar em Mim”, um hit que se manteve na parada de sucessos em quarto lugar, logo acima de “Day Tripper” dos Beatles.

Carlos Imperial também é o autor de “O Carango”, junto com Nonato Buzar, que foi também lançada por Erasmo Carlos no mesmo ano. Mas a gravação de Simonal, cheia de suingue, foi a que mais fez sucesso.

Mas hoje vamos curtir o sucesso “Mamãe Passou Açúcar em Mim”, na gravação original de Wilson Simonal.

A música foi regravada pelo ator e cantor Tiago Abravanel para ser o tema de abertura da série de televisão da Rede Globo, Louco por Elas.

The Point Carioca - Blog

Um dos grandes sucessos de Imperial

O Bom Hoje vamos relembrar um dos grandes sucessos de autoria de Carlos Imperial.

Polemico, se autodeclarava “rei da pilantragem” e vivia com seu estilo irreverente e libertino.

Justiça seja feita, Imperial influenciou a cultura brasileira, participando nos lançamento das carreiras de Roberto Carlos, Paulo Sérgio, Elis Regina, Tim Maia, Wilson Simonal, Clara Nunes e inúmeros outros artistas. Além disso, produziu filmes, peças de teatro, programas de televisão e compôs vários sucessos musicais.

No Carnaval de 1984, Imperial se notabilizou por divulgar as notas dos jurados com a expressão “Dez, nota dez!“, que se tornou um bordão.

No vídeo abaixo vamos relembrar um sucesso de 1967, gravado por Eduardo Araújo: “O Bom”, composição de Carlos Imperial. Nesse mesmo ano Eduardo também gravou “Vem Quente Que Eu Estou Fervendo”, também de autoria de Imperial e que havia sido gravado anteriormente por Erasmo Carlos.

Como é informado na descrição do vídeo, trata-se do Programa Ensaio da TV CULTURA, exibido em 26 de Julho de 2007. Eduardo Araújo contou com a participação de Sylvinha Araújo, sua esposa.

The Point Carioca - Blog

Clique em CURTIR e Compartilhe.

Relembrando a Pilantragem

Nonato Buzar Hoje vamos postar um vídeo com o maior sucesso de Nonato Buzar.

A composição foi feita por Nonato Buzar especialmente para a cantora Adriana, chamava-se “Anjo Azul”, lançada no ano de 1967. Sucesso absoluto, vendendo mais de 380.000 cópias.

Nonato Buzar integrava o grupo A Turma da Pilantragem, movimento musical capitaneado por Wilson Simonal e Carlos Imperial. A Pilantragem era uma mistura de samba, iê-iê-iê e soul. Ainda em 1967, Nonato mostrou a música para Simonal, que pediu permissão para gravá-la.

Na gravação de Simonal o sucesso passou a ser chamado por “Vesti Azul”. Foi incluída no álbum Alegria, Alegria!!!, bordão que Simonal usava na televisão e que Caetano Veloso pegou emprestado para usar como nome de uma música no festival do mês anterior. O disco era pilantragem pura.

Vamos relembrar e curtir esse grande sucesso na interpretação de Wilson Simonal.

A cantora Adriana, além do grande sucesso de vendas que obteve com a música “Anjo Azul”, em 1967, voltou a fazer grande sucesso em 1972, com a canção “O Que Me Importa”, composição de Cury, que mais recentemente foi regravada por Tim Maia e Marisa Monte.

The Point Carioca - Blog

Clique em CURTIR e Compartilhe.

Mais de Regininha

Umas e Outras Em nosso post antigo com Regininha, um dos leitores pediu para mostrarmos mais sobre essa cantora do tempo da Pilantragem.

Vamos postar, então, um sucesso que fez parte da trilha sonora da novela Pigmalião 70, da Rede Globo, exibida no ano de 1970.

A canção chama-se também “Pigmalião 70”, composição de Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle, gravado pelo grupo Umas & Outras.

Como tema de abertura da novela, a canção era a primeira faixa do álbum da trilha sonora, mas, também, encerrava o álbum, em uma interpretação do saudoso maestro Erlon Chaves.

E onde entra a Regininha nessa história? No grupo Umas & Outras.

Umas & Outras foi um trio musical formado em 1970 pelas cantoras Regininha, Dorinha Tapajós e Málu Ballona. O grupo durou um pouco mais de um ano, deixando como legado o álbum, Poucas e Boas, produzido por Nelson Motta. As integrantes, anteriormente, faziam parte do grupo musical A Turma da Pilantragem, movimento musical que durou de 1968 a 1970.

Com vocês, “Pigmalião 70” com Umas & Outras.


The Point Carioca - Blog

Clique em CURTIR e Compartilhe.